STREET ART EM LONDRES

– por Claudia Marandino                                                                                                                     Photos by Claudia Marandino

Nos últimos anos, a arte efêmera e viral dos graffittis que pontua as cidades tem despertado o interesse do mainstream.
O talento dos artistas se sobrepõe às questões legais e formais, desperta o interesse de galeristas e colecionadores e o que era vandalismo ganha o status de street art.

Mas afinal, o que é street art?
A definição é complexa. Ela se inspira no espaço construído da cidade e ocupa áreas públicas ou privadas sem considerar o direito a propriedade. Com uma visão anti-capitalista e rebelde, ela é democrática para quem admira, mas incômoda para os donos dos muros e fachadas.
E quem é o dono da cidade?
Os trabalhos, originalmente nascidos da demarcação territorial de gangues, hoje questionam e expõem perguntas, direitos e questões políticas. Acabam se tornando parte da renovação de áreas degradadas das cidades.

E é vandalismo? É ilegal?
A diferença entre um graffitti permanente e arte está, basicamente, na permissão.
O local foi liberado para que o artista fizesse seu trabalho?
Mas o assunto fica ainda mais complexo se levarmos em conta outras formas não destrutivas ou invasivas de arte, como projeções ou instalações.

Resumindo, com permissão, o graffitti é considerado arte pública.
Sem autorização, quem está pintando em local público ou privado está cometendo vandalismo, ou seja, um crime.
No entanto, artistas que iniciaram com0 vândalos, Banksy e Shepard Fairy por exemplo, hoje são reconhecidos e legitimados como artistas conscientes.
O assunto não se encerra e a cena da street art continua efervescente ! Os que consideram o meio como uma maneira de alcançar o mainstream são atacados pelos que cobram que haja uma “pureza outsider” no movimento. Famosos tem seus trabalhos grafitados.
Enfim, como arte que é, torna-se assunto de discussão e questionamento, exercendo o seu papel de cutucar o mundo em que vivemos com vara curta.

Na visita a Londres, fizemos um street art tour guiado pelas ruas de Shoreditch, distrito de Londres revalorizado e gentrificado mais recentemente por ser local-base de empresas de tecnologia e negócios pela internet como Last.fm e SocialGo, dentre outras. Galerias de arte, bares e restaurantes transformaram a área, criando até o termo “Shoreditchfication”.
E pelas ruas, trabalhos de artistas…ou vândalos se espalham .

Artistas: Low Bros

Artistas: Low Bros

Artista: Ben Wilson 

Artista: Ben Wilson

Artista: Kathryn Presner

Artista: Kathryn Presner

 

Artista: Gregos

Artista: Gregos

Artista: Space Invaders

Artista: Space Invaders

Artista: DALeast

Artista: DALeast

Artista: Cranio

Artista: Cranio

Artista: Bansy

Artista: Bansy

Artista: Ben Eine

Artista: Ben Eine

Artista: INSA

Artista: INSA Entre no link e veja o GIF com a imagem acima em movimento – como foi produzida – The Cycle of Futility

Entre no link e veja o GIF com a imagem acima em movimento – como foi produzida – The Cycle of Futility

Artista: Roes

Artista: Roes

20150919_122837

20150919_130103-crop

20150919_142749

Artista:CEPT

20150919_144718

Photos by Claudia Marandino

Esse foi o tour que fizemos :  Street_Art_London_Tours-London_England

Curta As Arquitetas no Facebook