,OVO AGORA NO ARQUIVO

Desde que surgiram, há 27 anos, Luciana Martins e Gerson de Oliveira desenvolvem um trabalho situado no limite entre o design e a arte. Suas criações têm, em geral, o poder de conciliar a concisão com a capacidade de surpreender.
Para quem curte o trabalho desta premiada dupla, à frente da ,Ovo, com sede em São Paulo, uma boa notícia: o ARQUIVO CONTEMPORÂNEO passa a representar a marca no Rio, incluindo as peças abaixo relacionadas, da nova coleção

SOFÁ JARDIM

O desenho do sofá Jardim remete ao paisagismo modernista, no qual a geometria é utilizada para a organização espacial de plantas e outros elementos naturais. Sua forma desconstruída permite que as pessoas se sentem em todos os lados do sofá, o que altera sua configuração. Essa peça foi concebida tanto para uso coletivo em espaços públicos quanto para uso privado em ambientes residenciais.

SÉRIE PRAÇA

Serie Praca assinada pelos designers Luciana Martins e Gerson de Oliveira da OVO no ARQUIVO CONTEMPORANEO

A série Praça parte da observação da linguagem das maquetes arquitetônicas. Escadas e rampas cortam volumes e conectam planos. Estes elementos da arquitetura foram escolhidos pelo forte significado que carregam. O jogo de escala presente nestas peças é outra característica a ser observada.

CARRINHO DE CHÁ ODESSA

Carrinho de cha Odessa assinado pelos designers Luciana Martins e Gerson de Oliveira da OVO no ARQUIVO CONTEMPORANEO

O carrinho de chá Odessa explora a visualidade da roda. A estrutura metálica delgada e os tampos de granito preto escovado formam o suporte para que os dois grandes círculos se destaquem. Seu nome faz referência à escadaria onde Sergei Eisenstein filmou a sequência icônica de O Encouraçado Potemkin, na qual um carrinho de bebê de grandes rodas, após ser perdido pela mãe, desce desgovernado os degraus.

MÓDULOS DE ASSENTO E ENCOSTO PAISAGEM

Sofa Paisagem assinado pelos designers Luciana Martins e Gerson de Oliveira da OVO

Composto por peças de diferentes alturas e comprimentos, o desenho da linha Paisagem tem características gráficas e ao mesmo tempo orgânicas. Os módulos, a exemplo de outros sistemas criados pelos designers da ,Ovo, podem ser combinados de inúmeras formas, permitindo não só a adequação a diferentes espaços mas também a formação de outros desenhos e formas. A estrutura metálica delgada dos pés realça os volumes dos assentos e encostos estofados e revestidos de tecido.

CADEIRA TRAPÉZIO

Cadeira Trapezio assinada pelos designers Luciana Martins e Gerson de Oliveira da OVO

De todas as perspectivas percebe-se a geometria bem marcada desta cadeira e a concisão de seu volume. Na vista frontal, vê-se a forma do trapézio. Isósceles, suas linhas verticais convergem para um mesmo ponto central, no alto, já fora do plano do desenho. O assento é também trapezoidal e, visto de frente, conduz ao ponto de fuga no horizonte. A perspectiva lateral revela o triângulo, provocado pelo distanciamento do encosto, e um quase quadrado, no vazio entre pés e travessa. Cada elemento aparenta estar solto: assento e encosto pousam leves nas linhas que cortam o espaço, a lembrar os movimentos do trapezista.

CADEIRA OLHO

A Olhos surge da revisão de uma tipologia conhecida do design industrial, as cadeiras em concha de laminado moldado. Esse componente, próprio da produção em escala, transforma-se aqui por meio de dois recortes ovais no encosto. Os vazios flertam com o figurativo – um fantasminha, uma coruja? –, ao mesmo tempo que facilitam o manuseio da cadeira de um lugar para outro. A base, feita em madeira maciça torneada, é convidativa ao toque. Leve, sequinha e anatômica, a Olhos tem presença.

MESAS BAIÃO

As mesas Baião formam um conjunto com duas alturas permitindo que uma se encaixe sob a outra. Juntas formam um par de desenho sinuoso e bem humorado.

CADEIRA ALÇA

A linha sai do chão em direção ao alto, flexiona na paralela, curva em direção ao outro lado e faz o caminho inverso até voltar para o chão. Esse traço contínuo no espaço dá nome ao desenho – cadeira Alça – e confere unidade aos diferentes elementos. O encosto é encaixado no interior da alça, como se por ela abraçado. Em resposta ao encontro, a moldura inclina-se sutilmente para trás. Tensionada entre tal angulação e a curvatura no topo, a tela de palhinha molda-se perfeitamente às costas. A alça cria os braços da cadeira, no qual os homônimos humanos apoiam-se naturalmente. A transparência do conjunto ressalta a linha fundamental, que envolve o design e envolverá, com conforto, o corpo.

SOFÁ ASPAS

O Sofá Aspas tem proporções ao mesmo tempo generosas e delicadas. A leveza dos braços que dão nome à linha contrasta com os volumes do assento e encosto. O enchimento de pluma traz o conforto e o toque macio.

Advertising

Facebook
Facebook
Twitter
LinkedIn
Instagram