ENTRE O BEM E O MAL?




– por Claudia Marandino

– entre o bem e o mal

buda

Uma frase atribuída a Buda me chamou a atenção essa semana.

“O conflito não é entre o bem e  o mal, mas entre o conhecimento e a ignorância”

Em momento de tantos conflitos no mundo e no Brasil, a frase me parece cair muito bem.
As situações de tensão são parte da vida, desde o menor contato entre pais e filhos até nações.
Mas a solução ou administração deles requer maturidade, que vem através do conhecimento. Não apenas do conhecimento intelectual e cultural, e sim muito mais do conhecimento e maturidade interna, que faz com que quem tenha mais poder material, físico, bélico, use estes instrumentos com mais sabedoria, empatia e reconhecimento do outro como também ser humano, com exigências justas e necessárias.
Um exemplo muito simples e próximo desse conflito é, quando estamos atravessando a rua e um motorista, ao invés de diminuir a marcha, acelera em cima da gente, nos obrigando a correr.
Ele é um ser humano como qualquer outro, ele também, eventualmente é um pedestre.
Só que, quando investido daquele mínimo poder e proteção, que é estar dentro de uma máquina chamada carro, e movido pela ignorância de si mesmo, de não se perceber parte de um todo, ele investe contra o outro como se fosse um inimigo a ser eliminado.
Um estorvo que esta impedindo a sua passagem.
É um aprendizado difícil e uma atitude corajosa se levantar contra a ignorância.
Coragem de se expor, de ir contra instintos e impressões arraigadas em nós como parte dessa mesma sociedade e ir buscar uma nova forma de ver o mundo, com olhos mais fraternos e amigáveis.Quem está em situação de maior poder tem que ser o mais capaz de entender e proteger.

Djalma-Batista-pedestres-atravessam-transito_ACRIMA20130401_0011_15
E aí,  como um sopro bom essa semana, em meio a tantas notícias, vi a do catador de latinhas que entrou no ônibus e foi repreendido pelo motorista, que não queria “carregar lixo dentro do seu ônibus” e disse que ele deveria sair.
Uma passageira se indignou com a discriminação e disse que ele não deveria sair, afinal tinha passado o dia trabalhando, como a maioria dos que estavam ali.
Outros passageiros se manifestaram a favor dele, ativamente. E ele continuou sua viagem. O episódio foi filmado, exposto e o motorista repreendido e talvez, punido.
A companhia demitiria o motorista por sua atitude se  a situação não tivesse acontecido dessa maneira, com o fato exposto e contestado?
Naquela situação, no conflito, vozes com “mais poder” se levantaram para defender
os direitos de alguém com, teoricamente, “menos poder”. As pessoas ali souberam ativamente demonstrar que ninguém pode ser considerado “menor”, simplesmente por ter “menos poder” aparente.

E isso é o conhecimento de quem você é no mundo, superando a ignorância.

 

 




Facebook
Facebook
Twitter
LinkedIn
Instagram