CONTRA VENTOS E MARÉS

A ARQUITETA ANDREA CHICHARO MUDOU INTEIRAMENTE O LAYOUT DESTE APARTAMENTO DE 294 M2 E TEM COMO ALIADA A PAISAGEM DESLUMBRANTE DE COPACABANA QUE SE DESCORTINA ATÉ A PONTA DO ARPOADOR

Fotos : André Nazareth

Uma reforma total, incluindo hidráulica, elétrica e de revestimentos era necessária para renovar este apartamento no Leme que fica praticamente dentro do mar. Com quatro quartos, uma varanda que se estende até o dormitório principal, é agora uma residência ampla, para um casal e dois filhos, cheia de pequenos detalhes que a tornam prática e elegante.

A primeira providência foi trocar as esquadrias da varanda, que tinham vidro fixo, para poder abrir toda a sala a aproveitar melhor a vista. O living tem dois ambientes, um deles revestido de madeira onde foi instalado um telão sendo que em uma das laterais, a parede é da mesma madeira. Foi esse o recurso da arquiteta para escamotear uma das portas do apartamento. “Quando ela está aberta, pode-se ver o mar do corredor”, explica Andrea. “Eu não acho bonito uma sala cheia de portas e sempre procuro disfarçá-las. Procuro valorizar o mais que posso as obras de arte e não detalhes de arquitetura”, complementa.

As cores dos estofados são suaves para que os quadros e os objetos sejam o foco da decoração, exceção feita para as poltronas vermelhas, design clássico de Ricardo Fasanello. Os móveis de design brasileiro foram uma escolha acertada para o apartamento que tem também peças de Zalszupin e Sergio Rodrigues.

Uma viga impediu a integração total da sala de jantar com o estar, mas outro truque da arquiteta foi criar uma moldura de madeira entre os dois ambientes, um acabamento que dá mais personalidade à passagem. Como os proprietários adoram cozinhar, criou-se uma copa, com cooktop, exaustor, pia e geladeira ao lado da sala de jantar e uma mesinha acoplada à bancada, que é de Corian. Nesse cômodo o concreto dá o tom, quebrado aqui e ali por pitadas de amarelo. As cadeiras são de xadrez e as paredes de madeira nobre, sendo que uma delas faz às vezes de encosto do banco da mesa. O pulo do gato? Aliás, são dois: as portas de correr que fecham discretamente a passagem entre os dois ambientes e, quando abertas, permitem que quem esteja cozinhando possa ver o mar.

Na sala de jantar a ampla mesa de refeições é um modelo vintage de Sergio Rodrigues, todo restaurado, mas ainda sobra espaço para um móvel de marcenaria para guardar louças e toalhas com um nicho central espelhado.

Outra astúcia de Andrea foi mudar a porta de entrada de lugar para a mesma parede em que fica o lavabo, ambas bem disfarçadas e ainda na companhia de um lindo piano de cauda. No lugar da antiga porta uma parede a mais para abrigar as inúmeras obras de arte dos moradores. No quarto principal impera a simplicidade, sendo o espelho novamente um recurso para trazer a paisagem para dentro. A cabeceira da cama é original: feita de tijolinhos de concreto de tons e texturas diferentes. O piso de travertino lembra a areia do mar prolongado na varanda decorada com poucas e práticas peças para aguentar o sol e o mar.

Advertising

Twitter
LinkedIn
Instagram