CARLOS VERGARA E ZANINE CALDAS EM EXPOSIÇÃO NO MAM

Carlos Vergara e Zanini de Zanine

MAM Rio inaugurou no dia 14 de setembro, a exposição “Zanine 100 anos – Forma e Resistência”, com 18 obras feitas pelo consagrado arquiteto, designer, artista, paisagista e professor José Zanine Caldas (1919-2001), dentro de sua profunda pesquisa sobre nossas madeiras.
Com curadoria de Tulio Mariante, curador de design do MAM, as obras selecionadas integram a emblemática e profícua produção de Zanine entre o final dos anos 1960 e 1980, conhecida como “móvel-denúncia”. As peças, feitas em madeira maciça, denunciavam de maneira pioneira o desmatamento das florestas brasileiras.


No dia 19 de setembro de 2019, às 18h30, na Cinemateca do MAM, será realizada uma conversa aberta com o artista Carlos Vergara – que está com a exposição “Prospectiva” em cartaz no MAM, e era amigo de Zanine Caldas, tendo convivido com ele em Nova Viçosa, na Bahia – e Fernanda Borges, que foi casada com o arquiteto, e é mãe do designer Zanini de Zanine, que estará também presente. Após a conversa, haverá exibição do documentário sobre Zanine Caldas: “Arquitetura de Morar” (1974, 12′), de Antonio Carlos da Fontoura, com trilha musical de Antonio Carlos Jobim, sobre, três casas projetadas por Zanine Caldas na Joatinga. Crédito obrigatório das obras: Andre Nazareth/Divulgacão Editora Olhares. 


Também no MAM Rio, inaugurou no sábado, em seu Espaço Monumental,  a exposição “Carlos Vergara – Prospectiva”, com mais de 170 obras inéditas do celebrado artista, e varias outros trabalhos que percorrem sua produção desde 2003, em que busca os sinais do sagrado, “do inefável”, em vários locais do planeta.
Entre os seus trabalhos inéditos e criados especialmente para a exposição estão pinturas de grande formato – as maiores já realizadas pelo artista – a partir de monotipias feitas no Cais do Valongo, na zona portuária carioca, onde chegaram os escravizados vindos da África, e nos trilhos do bonde em Santa Teresa, no Rio de Janeiro, onde fica seu ateliê.

CARLOS VERGARA


E ainda as resultantes de sua recente viagem no sul da França, pelo caminho do sagrado feminino, que teria sido trilhado pelas Três Marias – Maria Madalena, Maria Jacobé (ou Jacobina, mãe de Tiago), e Maria Salomé – e Santa Sara, a escrava egípcia que se tornou padroeira dos ciganos. A curadoria da exposição é do próprio artista. Paralelamente à exposição “Prospectiva”, será exibido no terceiro andar do Museu, dentro da mostra “Alucinações à beira-mar”, um conjunto de obras de Carlos Vergara pertencente às Coleções do MAM, com curadoria de Fernando Cocchiarale e Fernanda Lopes. 

Renato Machado e Carlos Vergara
Facebook
Facebook
Twitter
LinkedIn
Instagram